Representantes da Fenae e das Apcefs protestam contra fatiamento da Caixa durante ato em Natal | Portal
ENQUETE

Notícias da Fenae

06.12.2018
Representantes da Fenae e das Apcefs protestam contra fatiamento da Caixa durante ato em Natal

Ato unificado em frente a agência Potiguar da Caixa Econômica Federal, em Natal (RN), reuniu nesta quinta-feira (6) empregados do banco, representantes da Fenae, Apcefs, centrais sindicais, Sindicato dos Bancários do Estado e famílias que integram movimentos sociais de luta por moradia popular.

A mobilização marcou o Dia Nacional em Defesa dos Bancos Públicos convocado pelo Comando Nacional dos Bancários para protestar contra as ameaças de fatiamento e privatização dessas instituições públicas. Com camisetas da campanha “Não tem sentido”, lançada em outubro pela Fenae e Apcefs, em defesa da manutenção da Caixa 100% pública, os dirigentes destacaram o papel social da empresa e sua contribuição para o desenvolvimento social e econômico do país.

“Estamos aqui para mostrar a importância da Caixa na vida de cada trabalhador e trabalhadora. São empregados da Caixa de todo o país e nossos parceiros do movimento por moradia na defesa do FGTS, do Bolsa Família e de outros programas sociais de combate à pobreza que estão ameaçados com a possibilidade de privatização da Caixa”, disse o presidente da Fenae, Jair Pedro Ferreira.

Diretores da Fenae e representantes das Apcefs estão em Natal participando do Conselho Deliberativo Nacional da Federação e da final do Talentos Fenae/Apcef 2018. “Esse é um momento simbólico, que mostra a resistência para barrar a entrega do patrimônio brasileiro ao sistema financeiro privado”, acrescenta Jair Ferreira.

Durante o ato, foram distribuídos materiais da campanha “Não tem sentido”, que tem como objetivo mobilizar os empregados e a sociedade, mostrando que a empresa precisa continuar 100% pública, forte, social e a serviço dos brasileiros.

Nos diversos pronunciamentos, dirigentes das entidades lembraram que os bancos públicos são os responsáveis pelo atendimento na maior parcela de municípios no país, sobretudo aqueles comumente considerados menos rentáveis. Têm forte presença nas regiões Norte e Nordeste do Brasil, mais carentes em termos de atendimento bancário. Na região Norte, 63,3% do total de agências são de bancos públicos e na Região Nordeste, 59,3%.

O representante do Movimento de Luta nos Bairros, Vilas e favelas (MLB), Celio Lima, lembrou o papel da Caixa no financiamento de casas populares. “Nós que somos da ocupação temos uma pauta de reivindicação por moradias e não podemos deixar a Caixa ser privatizada. A Caixa é do povo”, enfatizou.

A representante dos empregados no Conselho de Administração, Rita Serrano, disse que o Rio Grande do Norte depende dos investimentos públicos. “ Os recursos para financiar o comércio e a indústria são provenientes dos bancos públicos e nós queremos que estes investimentos continuem”, justificou.  

Para o diretor da Fenae e representante da Fetrafi/NE, Marcos Saraiva, a Caixa trabalha para gerar desenvolvimento econômico e social e melhoria na qualidade de vida das pessoas. “Ao longo de sua existência o principal agente de políticas sociais do governo brasileiro”.

O ato em defesa dos bancos públicos contou também com a participação de representantes de duas centrais sindicais, CSP Conlutas e Intersindical. “Só a luta nos garante, só a luta vai evitar que esvaziem o papel social da Caixa e resistir as tentativas de privatização”, disse a representante da Intersindical e diretora da Fenae, Rita Lima, que conclamou a criação de uma frente ampla para derrubar todos os ataques a classe trabalhadora.completou.

“Estaremos nas ruas para defender a Caixa, o Banco do Brasil e o Banco do Nordeste. Nossa luta também é em defesa da Previdência Social, que também está ameaçada pela reforma do futuro governo”, disse Eduardo Xavier, dirigente da Conlutas.

 Para o coordenador da Comissão Executiva dos Empregados da Caixa Econômica Federal (CEE/Caixa), Dionísio Reis, “querem criar a impressão de que as empresas públicas prestam serviços de má qualidade e não têm nenhuma serventia para a sociedade e, por isso, devem ser privatizadas. Ao contrário disso os bancos públicos são os mais eficientes em financiar o desenvolvimento do país e prestar diversos serviços que os bancos privados não prestam”.

Os empregados aposentados da Caixa foram representados na manifestação pela presidente Associação dos Economiários Aposentados do Distrito Federal (AEA-DF) e diretora da Fenae, Marlene Dias. “ A Caixa é de todos e temos que defendê-la para assegurar que programas como o Fies, por exemplo, não acabem”.

Mobilizações

Outras manifestações foram realizadas em todo o país no Dia Nacional em Defesa dos Bancos Públicos. As manifestações foram idealizadas pelo Comando Nacional dos Bancários, como forma de protestos contra as ameaças proferidas por representantes das direções dos bancos e membros de governos, que têm a intenção de fragilizar as empresas e vender seus ativos.

Clique aqui e veja a galeria de fotos do dia.

A mobilização marcou o Dia Nacional em Defesa dos Bancos Públicos
Compartilhe:
Voltar

LINKS ÚTEIS

  • APCEF/CE - Associação do Pessoal da Caixa Econômica Federal
  • Av Frei Cirilo, 4700 - Messejana
  • Fortaleza - Ceará - CEP: 60840-285
  • TEL: (85) 3253-2034
  • TEL: (85) 3253-3408